quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A GUARDA DO SÁBADO

Escreve Ellen Gould White no livro O Conflito dos Séculos: O sábado será a pedra de toque da lealdade: pois é o ponto da verdade especialmente controvertido. Quando sobrevier aos homens a prova final, traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não o servem
(p. 611, Ellen Gould White. Casa Publicadora Brasileira. 1971).
RESPOSTA APOLOGÉTICA:
Em (Os 2.11) se faz uma profecia sobre a abolição do sábado semanal. Essa profecia foi cumprida em Cristo como afirma Paulo em (Cl 2.14-17; Gl 4.9-10). Diante da clareza do texto de
(Cl 2.16-17) costumam os adventistas do sétimo dia refutar que a palavra sábados não se refere ao sábado semanal mas aos sábados cerimoniais ou anuais mencionados em (Lv 23.1-39).Não é correta esta interpretação e damos três razões para refuta-la:A-.Os chamados sábados anuais ou sábados cerimoniais eram chamados festas e já estão incluídos na frase dias de festa de (Cl 2.16). Estes dias de festa ou sábados anuais eram designados dias de festas como segue: Festas da: pascoa, Asmos, Pentecoste, Trombetas, Expiação, Tabernáculos (dois dias: 1º e ultimo dia da festa) (Lv 23.5-36)B- A fórmula dias de festa, luas novas e sábados é a formula para indicar os dias sagrados anuais, mensais e semanais: (1 Cr 23.31, 2 Cr 2.4; 8.13;Ez 45.17; Os 2.11; Cl 2.14-17)C- As palavras sábado, sábados e dia de sábado (singular) ou (plural) ocorrem 60 vezes no Novo Testamento. Em 59 casos os Adventistas do Sétimo Dia reconhecem tratar-se do sábado semanal e em apenas um caso eles negam, justamente o de (Cl 2.16). Dizem, Os termos Sábado, sábados e dia de Sábado ocorrem sessenta vezes no Novo Testamento, e em cada caso exceto um, refere-se ao sétimo dia. Em (Col. 2.16 e 17), faz-se referência aos sábados anuais relacionados com as três festas anuais observadas por Israel antes do primeiro advento de Cristo. (ESTUDOS BÍBLICOS, p. 378, CPB) Se dermos à palavra sábado o sentido de semanal em (Cl 2.16) teremos em apoio da nossa interpretação 59 referências reconhecidas por eles. Ao darem a (Cl 2.16) o sentido de sábados anuais ou cerimoniais não encontram nenhuma referência que apóie sua interpretação. E por que assim argumentam? Porque teriam de reconhecer que o sábado foi abolido na cruz (Rm 10.4).

Nenhum comentário:

Postar um comentário